Transtejo associa-se a procissão fluvial

30 mai, 2013 • Ângela Roque

O primeiro Cruzeiro Religioso dos Avieiros começou dia 25 de Maio em Constância e vai terminar sábado na Trafaria. Inscrições para a última etapa fecham hoje.

O cruzeiro em honra de nossa Senhora dos Avieiros está a decorrer por etapas. Às embarcações tradicionais vai juntar-se, no último dia, o navio S. Paulus, do serviço de turismo da Transtejo, com duzentos lugares disponíveis.

João Serrano, da organização do Cruzeiro, explica que "a inscrição é gratuita, basta telefonarem para o Instituto Politécnico de Santarém, e pedirem para ligar ao gabinete da cultura avieira". Mas, quem quiser participar deve apressar-se porque as inscrições terminam hoje: "a partir de meio da tarde as inscrições fecham porque a própria Transtejo vai oferecer os restantes lugares aos trabalhadores".

Sábado o navio sairá do Cais do Sodré às 8h30, a chegada ao Seixal está prevista para as 9h30 "onde as embarcações típicas aguardam pelo S. Paulus para depois partirem em procissão fluvial até à Trafaria", explica João Serrano. "Aí participa-se nas celebrações, no convívio, na missa, e no final, por volta das sete da tarde, o navio S. Paulus regressa ao Cais do Sodré".

A fé dos avieiros e a candidatura a património nacional
Os avieiros são assim chamados porque vieram de Vieira de Leiria pescar no Tejo, e acabaram por povoar as suas margens, deixando marcas culturais sobretudo nas zonas da Azambuja, Salvaterra de Magos e Vila Franca de Xira. Uma dessas marcas é a religiosidade popular. João Serrano explica que foram "os avieiros e as comunidades ribeirinhas do Tejo que demonstraram interesse em ter uma imagem de Nossa Senhora que os pudesse proteger nas horas difíceis e de aflição".

A imagem foi encomendada à mesma oficina de arte sacra de Braga que esculpiu a imagem de Nossa Senhora de Fátima, e foi consagrada dia 4 de Maio pelo Bispo de Santarém.
"De acordo com a vontade e a imaginação destas comunidades foi possível chegar à imagem que está a ser escoltada pelas embarcações no Tejo", sublinha João Serrano, que também coordena a "candidatura da cultura avieira a património nacional". O projecto está a ser promovido pelo Instituto Politécnico de Santarém desde 2005.