Câmaras de Lisboa e Sintra dizem não ter contas a esconder

28 fev, 2012

António Costa e Fernando Seara garantem que têm prestado ao Governo toda a informação que lhes é pedida.
Câmaras de Lisboa e Sintra dizem não ter contas a esconder
O presidente da Câmara de Sintra admite que existem municípios com a contabilidade em atraso e diz que só casos destes podem justificar a carta enviada pelo Governo a pedir contas sobre as dívidas das autarquias. Fernando Seara garante que, da sua parte, "não há nada a esconder".

“Quer os números de Lisboa, quer os de Sintra, são inequívocos. Representam o conjunto da informação que é devida”, diz o presidente da Câmara de Sintra.

Fernando Seara admite que “que alguns, porventura, não tenham dado a informação toda e, agora, com o cruzamento de dados, quer o ministro das Finanças, quer o ministro Miguel Relvas, vêem-se confrontados com a necessidade de escrever uma carta para, em definitivo, pedir aos municípios que digam a verdade das contas”. 

António Costa quer dar "boas notícias ao Governo"
O presidente da Câmara de Lisboa responde na mesma linha. António Costa ainda não recebeu a carta do Governo, mas refere que "terá todo o gosto em responder".

Ainda assim, refere que não perceba "o que é que o Governo quer saber", porque, “todos os meses, todos os municípios prestam contas à direcção-geral da administração local". "Portanto, essas contas já existem todas e não percebo o que é que o Governo vem pedir agora a mais do que aquilo que já tem”, acrescenta. 

António Costa afirma ainda que terá "todo o gosto" em “dar boas notícias ao Governo”, nomeadamente que “as contas mostram que baixámos o passivo, a dívida de médio e curto prazo”. “Acho que são boas notícias que o Governo vai gostar de saber”, conclui o autarca.

A Câmara de Lisboa é das que tem dívida mais elevada, mas garante que não há contas por pagar e até já escreveu ao ministro das Finanças a dizer que quer amortizar a dívida da autarquia aos bancos.