O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.

ONU responsabiliza presidente sírio por "crimes contra a humanidade"

13 set, 2013

Secretário-geral Ban Ki-moon antecipou o sentido da investigação ao ataque com armas químicas na Síria.

O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, não tem dúvidas de que o presidente sírio, Bashar al-Assad, cometeu crimes de guerra e que terá de ser responsabilizado.

“O que aconteceu foi que ele [Bashar al-Assad] cometeu vários crimes contra a humanidade, portanto, estou convicto de que haverá um processo de responsabilização quando tudo estiver terminado”, declarou Ban Ki-moon.

O secretário-geral das Nações Unidas antecipou esta sexta-feira o sentido do relatório dos investigadores da ONU que estiveram na Síria.

O responsável revelou que está provado o uso de armas químicas no ataque de 21 de Agosto, que fez mais de 1.400 mortos, mas não adiantou quem são os responsáveis. 

Em Nova Iorque, Ban Ki-Moon não esclareceu contudo se será por este ataque que Bashar al-Assad irá responder. O presidente sírio nega o uso de armas químicas e está disponível para entregar o arsenal à comunidade internacional.

Na reunião desta sexta-feira em Genebra, o ministro russo dos Negócios Estrangeiros, o secretário de Estado norte-americano e o enviado da ONU à Síria concordaram que apenas uma solução politica poderá representar uma saída para a crise.

Também já hoje o presidente norte-americano, Barack Obama, disse esperar que as negociações com vista à destruição das armas químicas tenham sucesso.