Habitantes de Côta têm bombeiros a cinco minutos, mas esperam 40

31 mai, 2012 • Liliana Carona

Freguesia pertence a Viseu e os bombeiros de lá nem sempre deixam os de Vila Nova de Paiva acudir às emergências. Uma questão de orgulho, queixa-se o presidente da junta.  
Habitantes de Côta têm bombeiros a cinco minutos, mas esperam 40
Têm os bombeiros a cinco minutos de caminho, mas cada vez que precisam de uma ambulância, os habitantes de Côta, em Viseu têm uma espera de mais de 40 minutos pela frente.

A Freguesia de Côta pertence ao concelho de Viseu que fica a cerca de 40 minutos de viagem. Mas mesmo ao lado está o outro concelho, limítrofe, Vila Nova de Paiva.

As distâncias poderiam não interessar para nada, não estivéssemos a falar de casos urgentes. Cada vez que chamam a ambulância, o tempo que separa Viseu de Côta, é muito, principalmente para os idosos, denuncia Goreti Reis, presidente de uma associação de solidariedade social da freguesia.

“É frequenet o pedido de ajuda, tendo em conta a idade das pessoas que apoiamos. E há situações complicadas, de AVC, de enfartes e isso requer uma resposta rápida, o que às vezes não acontece. É tardia pela distância, não por falta de eficiência dos recursos”.

Um problema de legislação, explica Joaquim Polónio, presidente da junta de freguesia de Côta. “O problema é de legislação. Os bombeiros de Vila Nova de Paiva mostram sempre a maior disponibilidade para ajudar, mas precisam sempre de ter o consentimento dos bombeiros de Viseu. Isto é mesmo assim, o território é de um galo e nem sempre deixa outro galo ir à capoeira dele.”

Fernando Ruas, presidente da Câmara Municipal de Viseu, diz que vai averiguar a situação: “É algo que também não compreendo, mas vou tentar tirar isso a limpo, porque neste caso de Côta a diferença não é insignificante, é grande, vou tentar que alguém resolva”.

O problema foi apresentado hoje por uma associação de solidariedade social, durante a reunião descentralizada das freguesias do concelho de Viseu.