Ensino Superior

Estudantes marcham contra austeridade. Já há quem só coma uma vez por dia

29 nov, 2011 • Júlio Almeida

Alunos da Universidade de Aveiro recolheram cabazes de alimentos para os colegas mais carenciados.
Estudantes marcham contra austeridade. Já há quem só coma uma vez por dia

Os estudantes do Ensino Superior marcham esta tarde do Marquês de Pombal até à Assembleia da República. É um protesto contra os cortes financeiros e as dificuldades de acesso às universidades.

A austeridade acaba por prejudicar não só as instituições, mas também os alunos.
 
Há casos de estudantes que só conseguem fazer uma refeição por dia. Por isso, em Aveiro, os alunos da universidade juntaram-se numa campanha de solidariedade para ajudar quem tem mais dificuldades. Em duas semanas recolheram bens que dão para duas dezenas de cabazes.

A ideia partiu de estudantes Departamento de Economia, Gestão e Engenharia Industrial da Universidade de Aveiro, que pensam já em repetir a iniciativa e evitar que colegas sejam levados a desistir do ensino por falta de condições financeiras.

A campanha foi lançada após o conhecimento de casos de alunos que poupam na alimentação para continuar a estudar. Vítor Rodrigues, um dos mentores da campanha, diz que terminou com quantidade suficiente de bens alimentares “para cerca de 20 a 25 cabazes”.

A reitoria garante que está atenta e tem activado o Fundo de Emergência Social para os casos mais delicados, o que acontece com apoios para alojamento, alimentação ou facilidades no pagamento das propinas.

A 5 de Dezembro vai ser apresentada uma nova comissão de coordenação do voluntariado que terá atenção especial aos casos de estudantes com carências financeiras.