RR
|

Investigação de violência doméstica descobriu um zoo caseiro

15 mai, 2014

Com o alegado agressor, conviviam vários animais exóticos, como cobras e tartarugas.

A investigação da GNR durava há 15 dias. Mas, quando os militares se dirigiram à residência do suspeito de violência doméstica, concelho de Sintra, encontraram um outro delito na forma de uma espécie de jardim zoológico caseiro.

Com o alegado agressor, conviviam quatro cobras pitons, sete tartarugas de espécies exóticas, outras seis embalsamadas, um lagarto embalsamado e ainda uma carapaça de tartaruga e dois corais.

O homem seria detido pelo GNR, na terça-feira, na sua casa em Janas, freguesia de São Martinho, um homem de 36 anos e apreendeu vários espécimes exóticos.

O suspeito não tinha em seu poder qualquer documentação legal associada aos animais. Por isso, foram apreendidos e levados para o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), em Lisboa.

As coimas para este tipo de crimes variam entre os 20 mil e 30 mil euros por falta de registo dos animais e mil a 30 mil euros pela detenção dos espécimes, consoante as espécies.

O sujeito foi detido e presente ao Tribunal de Sintra, que aplicou como medidas de coacção apresentações semanais e a utilização de pulseira electrónica pela prática dos crimes de violência doméstica e "danos contra a natureza".