O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.

1% dos portugueses tem 21% da riqueza do país

27 abr, 2015 • Redacção e Rodrigo Machado (infografia)

É, segundo o autor, a primeira tentativa para estudar a riqueza das famílias portuguesas.
1% dos portugueses tem 21% da riqueza do país

Se a riqueza em Portugal representasse 1 euro, 1% da população tinha 21 cêntimos e 99% tinham os restantes 79 cêntimos. Esta é uma das conclusões da tese de mestrado do jornalista da Renascença Paulo Ribeiro Pinto.

"Uma pequena parte da população portuguesa detém muita riqueza, muito património. Essa pequena parte – 1% – detém mais de 21% da riqueza líquida das famílias. Não é que isso esteja fora da média da União Europeia, por exemplo, mas a questão é perceber se essa média é a média que nós, enquanto sociedade, gostaríamos que fosse", explica.

É, segundo o autor, a primeira tentativa para estudar a riqueza das famílias portuguesas.

O estudo foi feito com base no Inquérito à Situação Financeira das Famílias, realizado pelo Banco Central Europeu, com dados de 2009 e 2010. A tese foi apresentada no âmbito do mestrado em Economia e Políticas Públicas do Instituto Superior de Economia e Gestão (ISEG).

Paulo Ribeiro Pinto demorou cerca de oito meses a coligir e trabalhar os dados estatísticos. Na tese de mestrado, o jornalista conclui também que, entre os mais ricos em Portugal, muitos são os que têm elevados rendimentos do trabalho, mas há casos em que a riqueza tem outra explicação.

"Há 118 mil pessoas em Portugal que detém uma quantidade de riqueza muito grande, mas rendimentos muito baixos. Ou seja, há pessoas em Portugal que vivem dos rendimentos que não do trabalho. Vivem de rendimentos patrimoniais vários", remata.