O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.

Reembolso da sobretaxa é “pouco provável”

15 out, 2014

Economista João Duque lembra que a hipótese de reembolso está vinculada a maiores receitas do IRS e do IVA, factores que dependem do crescimento económico.
Reembolso da sobretaxa é “pouco provável”

O economista João Duque considera “pouco provável” que os contribuintes venham a receber algum reembolso da sobretaxa de IRS.

Em declarações à Renascença, o especialista lembra que a hipótese de reembolso está vinculada a maiores receitas do IRS e do IVA, factores que dependem do crescimento económico.

“Se os técnicos da Direcção-geral do Orçamento forem bons técnicos na capacidade de antecipar e prever cenários realistas, nós estamos dependentes daquilo que é um futuro acima do que é expectável. Como o expectável é um cenário de base de crescimento da economia de 1,5%, é preciso que a economia cresça acima disso para termos algum benefício, coisa que não me parece que seja muito provável”, explica.

Este mecanismo de reembolso da sobretaxa está inscrito na proposta do Orçamento do Estado que, esta quarta-feira, vai chegar ao Parlamento.

João Duque lembra ainda que a prestação da economia europeia pode também atrapalhar as perspectivas de crescimento.

“As ameaças de entrada em recessão da Alemanha e a confusão que se está a estabelecer com a França não auguram muito de bom para a Europa que é o principal motor das exportações e da economia portuguesa, neste momento”, acrescenta o economista.

Tudo sobre o Orçamento do Estado de 2015