|

Varoufakis demite-se para facilitar negociações com os credores

06 jul, 2015

Ministro das Finanças grego foi alertado para o facto de não ser bem-vindo nas reuniões do Eurogrupo. "Irei arcar com o ódio dos credores com orgulho", justifica.

Varoufakis demite-se para facilitar negociações com os credores

O ministro das Finanças grego vai demitir-se esta segunda-feira. Numa declaração publicada no seu blogue pessoal, Yanis Varoufakis disse ter sido alertado para o facto de não ser bem-vindo nas reuniões por alguns membros da Zona Euro.

"Depois do anúncio dos resultados do referendo, fui alertado para a preferência por parte de alguns membros do Eurogrupo pela minha ausência das reuniões; uma ideia que o primeiro-ministro achou que poderia ajudar a alcançar um acordo. Por esta razão deixo hoje o Ministério das Finanças", afirma.

No seu blogue, Varoufakis escreve esta segunda-feira que "o referendo de 5 de Julho vai ficar na história como um momento único em que uma pequena nação europeia se insurgiu contra as amarras da dívida".

"É essencial que o grande capital granjeado pelo nosso governo pela vitória do 'não' seja investido imediatamente numa solução e num acordo que envolva a reestruturação da dívida, menos austeridade, redestribuição em favor dos mais necessitados e reformas reais", acrescenta.

"Considero ser meu dever ajudar Alexis Tsipras a explorar o capital que o povo grego nos deu através do referendo. Irei arcar com o ódio dos credores com orgulho", afirma.

"Nós, da esquerda, sabemos agir colectivamente sem interesse pelos privilégios do posto. Irei apoiar por inteiro o primeiro ministro, o novo ministro das Finanças e o nosso governo."

"O esforço sobre-humano para honrar o corajoso povo grego e o famoso "OXI" (não) que concederam aos democratas do mundo inteiro, está apenas a começar", conclui.

A notícia é inesperada porque o ministro das Finanças apenas tinha admitido que podia demitir-se no caso da vitória do "sim" no referendo.

As próximas 48 horas vão ser de intensas negociações na União Europeia. O presidente da Comissão Europeia inicia esta segunda-feira uma série de consultas com os restantes 18 líderes da Zona Euro.

Angela Merkel e François Hollande reúnem-se já esta segunda-feira em Paris. Para o final da tarde de terça-feira está já agendada uma cimeira de chefes de Estado e de Governo da Zona Euro.

Ainda para terça-feira, o presidente do Eurogrupo anunciou uma reunião dos ministros das Finanças dos países da moeda única.

Vitória do "não" é um "sim" à Europa democrática
No domingo, após a vitória do "não", Varoufakis afirmou que o resultado era um grande "sim" à Europa democrática.

"A partir de amanhã [segunda-feira], a Europa, cujo coração está a bater esta noite na Grécia, está a começar a sarar as suas feridas, as nossas feridas", disse Varoufakis, numa declaração aos jornalistas depois do referendo.
 
Yanis Varoufakis elogiou a "coragem" dos gregos por rejeitarem o acordo com os credores internacionais e defendeu o reatamento das negociações com os parceiros internacionais o mais depressa possível.

“A partir de amanhã [segunda-feira], com este bravo 'não' que o povo grego nos entregou, vamos estender uma mão amiga aos nossos credores. Vamos chamar cada um deles para encontrar pontos comuns”, declarou.