Autocarros de Cascais, Oeiras e Sintra páram três dias

24 dez, 2014

Sindicato agenda três dias de greve. Esta quarta-feira, amanhã, quinta-feira, e o primeiro dia do ano serão de protesto. Falta de condições de trabalho é o motivo para a paralisação.

Os trabalhadores da transportadora rodoviária Scotturb, que opera em Cascais, Oeiras e Sintra, vão cumprir esta quarta-feira o primeiro de três dias de greve, convocada em protesto contra a falta de condições em que trabalham.

Luís Venâncio, da Federação de Sindicato de Transportes e Comunicações (Fectrans), disse à agência Lusa que os trabalhadores exigem aumentos salariais e condições dignas de trabalho e, uma vez que "não são ouvidos pela empresa", decidiram fazer greve nos dias 24 e 25 de Dezembro e 1 de Janeiro.

"Os investimentos da empresa não podem assentar na exploração dos trabalhadores. Os motoristas pagam a carta de condução, [testes] psicotécnicos e formação", contou.

O sindicalista sublinhou que os trabalhadores reclamam "uma negociação séria" para tratar das questões de rotina diárias e de salários.

"É preciso estimular, valorizar as pessoas e não ter unicamente a mão pesada quando falham com uma qualquer norma interna das centenas que existem. O uso e abuso de poder disciplinar retira mensalmente milhares de euros de salário dos trabalhadores", acusou Luís Venâncio.

Os trabalhadores, segundo o seu representante, querem que sejam "respeitados os tempos máximos e mínimos de prestação de trabalho, não permitindo tempos demais de trabalho seguido que, inclusive, vão contra as normas de segurança".

Esta quarta-feira, no primeiro dia de greve, os trabalhadores têm agendado um plenário à porta da empresa, em Alcabideche, Cascais, às 7h30.

A Scotturb tem cerca de 250 trabalhadores.