Amílcar Morais Pires sucede a Ricardo Salgado no BES

20 jun, 2014

Depois de 23 anos à frente do banco, Salgado sai por imposição do Banco de Portugal, que tem uma palavra a dizer na escolha da nova administração.
O actual presidente do BESI, Amílcar Morais Pires, é o escolhido para substituir Ricardo Salgado na direcção do BES. A nomeação terá de ser ainda confirmada pelo Banco de Portugal e as acções do banco estão suspensas na Bolsa da Lisboa, até que a situação se clarifique.

Para chairman, ou presidente não executivo, é avançado o nome do constitucionalista Paulo Mota Pinto.

Estes nomes constam da lista que irá ser proposta à Assembleia Geral de accionistas, marcada para 31 de Julho. Tanto Ricardo Salgado como José Maria Ricciardi, não vão fazer parte do próximo conselho de administração do BES, sendo colocados no conselho estratégico – órgão que será criado com esta restruturação.

Logo que foram conhecidas estas informações, a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários levantou a suspensão da negociação das acções do BES, "por terem cessado os motivos que justificaram a suspensão", segundo o comunicado.

Depois de 23 anos à frente da instituição bancária, Ricardo Salgado sai por imposição do Banco de Portugal, que tem uma palavra a dizer na escolha da nova administração.

Para Ana Paula Serra, professora de Finanças e vice-reitora da Porto Business School, a intervenção do banco central mostra que está atento à situação e que quer passar uma mensagem de tranquilidade. “Relativamente a este regulador, esta é a primeira situação mais complexa que lhe é colocada e vai em linha com aquilo que temos visto de muita preocupação em garantir que haja confiança nos bancos, que não haja problemas de contágio que afectem o sistema no seu todo”. Até que esteja concluído o processo de nomeação de uma nova administração do BES é natural que as acções do banco estejam sujeitas a grande volatilidade, acrescenta.

O banqueiro há mais tempo no activo
A completar 70 anos na próxima semana, Ricardo Salgado deixa a presidência executiva do Banco Espírito Santo, sendo o primeiro presidente do BES a abandonar este cargo em vida e o banqueiro português no activo há mais tempo em Portugal.

No cargo há mais de 20 anos, Ricardo Salgado assumiu a primeira vez a presidência executiva do BES em 1991, após a reprivatização, iniciando um percurso que levou ao aumento da quota de mercado de 8% para 20% e à internacionalização do BES.

O BES é hoje o maior banco privado português, em termos do activo total, superando o concorrente Banco Comercial Português (BCP) no fecho do primeiro trimestre de 2014, e está presente em 23 países e quatro continentes.

Casado e pai de três filhos, Ricardo Espírito Santo Silva Salgado nasceu a 25 de Junho de 1944, em Cascais, mas passou os primeiros anos da sua vida em Lisboa, na Lapa, onde viveu.