Incêndio Castro Marim

"Era um paraíso, está uma tristeza". Sem apoio, produtores de Castro Marim dizem não conseguir recuperar

19 ago, 2021 - 07:00 • Joana Gonçalves

O incêndio que deflagrou no início da semana em Castro Marim é, para já, o maior do ano, com uma área ardida de 6.700 hectares. Perderam-se centenas de oliveiras, pinheiros, medronheiros, alfarrobeiras e amendoeiras, que representavam, na sua maioria, um complemento importante para o rendimento dos moradores deste município. Sandra e Nélia, residentes na localidade de Monte da Estrada, próxima do lugar onde teve início o fogo, viram arder mais de metade das suas plantações, algumas centenárias. Sem apoio, dizem não ser capazes de recuperar.

RSS iTunes URL Embed E-mail Facebook Twitter Whatsup Comentários
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Ivo Pestana
    20 ago, 2021 Funchal 13:14
    O ser humano está a cavar a sua sepultura. Assim, o mundo está condenado à morte. Uma vez li, que Deus fez os campos e o Homem as cidades. Ora sem campo, adeus vida.