“Durante anos de guerra, os Estados proíbem adoções internacionais"

24 mar, 2022 - 06:18 • Ana Catarina André (Renascença) e Ana Dias Cordeiro (Público)

Rosário Farmhouse sublinha que acolher uma criança vinda de um cenário de guerra não é adotá-la. Quem acolhe tem de ter disponibilidade, mas também a certeza de que “vai ter que devolver”.

RSS iTunes URL Embed E-mail Facebook Twitter Whatsup Comentários

Renascença na Ucrânia

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.