Hora da Verdade

DECO considera insuficiente a renegociação dos créditos à habitação e defende criação de uma linha de financiamento para famílias

03 nov, 2022 - 07:01 • Marta Pedreira Mixão (vídeo e edição) Susana Madureira Martins (Renascença), Sónia Sapage (Público)

A DECO considera insuficiente a intenção de o Governo obrigar a banca a renegociar os créditos à habitação quando os juros subam acima dos testes de stress feitos às famílias. No debate do OE, o primeiro-ministro anunciou que a medida será aprovada no Conselho de Ministros, mas Natália Nunes, coordenadora do Gabinete de Proteção Financeira da Associação de defesa do consumidor, mostra reservas. Em declarações ao programa Hora da Verdade, da Renascença e do jornal Público, a coordenadora diz ter dúvidas que mesmo com a reestruturação dos créditos, as famílias consigam suportar o aumento das taxas de juro, mas sugere que uma das soluções para ajudar as famílias passa pela criação de uma linha de financiamento por parte do Governo, à semelhança do que aconteceu em 2009.

RSS URL Embed E-mail Facebook Twitter Whatsup Comentários

Renascença na Ucrânia

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.