Três décadas depois, China continua a negar massacre de Tiananmen

04 jun, 2019 - 11:38 • Imagem: Reuters

Há 30 anos, Pequim foi o epicentro dos protestos encabeçados por estudantes, a pedir menos repressão do Governo chinês. O Governo Chinês ainda não assumiu responsabilidade pelo massacre nem divulgou uma estimativa de número de mortos. Ativistas têm vindo a alertam para o aumento da repressão dos direitos humanos desde que Xi Jinging chegou ao poder em 2012.
Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.