Myanmar liberta jornalistas presos há 511 dias por denunciarem crimes contra os Rohingya

07 mai, 2019 - 14:40

Os dois jornalistas da Reuters presos no Myanmar, que foram acusados de violarem a lei do segredo de Estado, foram libertados esta terça-feira. Wa Lone e Kyaw Soe Oo foram acusados de terem obtido documentos secretos enquanto investigavam os crimes cometidos, pelas forças policiais do Myanmar, contra a minoria muçulmana dos rohingya. Foram libertados depois de 511 dias de prisão.
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.