D. José Ornelas. Igreja tem política de “tolerância zero” aos abusos sexuais, mas ainda está em "processo de purificação"

08 fev, 2019 - 08:17 • Ângela Roque (Renascença) e Paulo Rocha (Ecclesia)

D. José Ornelas defende que a cimeira, que dentro de alguns dias terá lugar no Vaticano, sobre pedofilia e proteção dos menores, faz parte do “processo de purificação” da Igreja. Em entrevista à Renascença e à agência Ecclesia, o Bispo do Setúbal defende, ainda, que o combate eficaz à violência doméstica terá de passar por uma mudança de mentalidades, que deixe de admitir que ao homem “tudo é permitido”.
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.