Secretário de Estado das Florestas

"Temos que evitar a todo o custo o fraccionamento das terras. Não deve haver terras de ninguém em Portugal"

23 jan, 2019 - 21:39 • Eunice Lourenço (Renascença) Ana Sá Lopes(Público)

Acabar com as terras sem dono, que passam a ser geridas por uma empresa pública, e pôr fim às propriedades mínimas, em nome do combate aos fogos. É esta a proposta apresentada por Miguel Freitas, secretário de Estado das Florestas, em entrevista à Renascença e ao jornal Público, para contornar o chumbo do banco de terras.
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.