Hora da Verdade

António Saraiva. “As famílias e as empresas estão exauridas na capacidade de suportar novos impostos"

11 out, 2018 - 00:00

O presidente da Confederação Empresarial de Portugal defende em entrevista à Renascença e ao Público que a decisão de aumentar os funcionários públicos ou de admitir no quadro os trabalhadores precários não se pode traduzir em aumentos de impostos. Pelo caminho, assume que a CIP não está disponível para ir além dos 600 euros no salário mínimo e desafia o PSD a assumir-se como um verdadeiro partido da oposição.
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.