Nadia Murad, Nobel da Paz, espera que vítimas de violência sexual sejam "ouvidas e aceites"

08 out, 2018 - 20:17

A ativista de direitos humanos Nadia Murad, esta sexta-feira laureada com o Nobel da Paz, confessa ter sido surpreendida pelo prémio e compromete-se a ser "a voz daqueles que não têm voz". Quando questionada acerca do movimento #MeToo, a ativista disse esperar que todas as vítimas de violência sexual se sintam seguras para partilhar as suas histórias. A jovem yazidi foi forçada a ser escrava sexual pelo grupo terrorista Estado Islâmico em agosto de 2014.

20 mai, 2019 - 07:50

A Eslováquia é a campeã da abstenção nas eleições europeias. Porquê?
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.