Médicos Sem Fronteiras

Líbia não tem onde deter mais refugiados resgatados

05 jul, 2018 - 13:46 • Catarina Santos

Europa quer recambiar migrantes e refugiados para África, mas os precários centros de detenção da Líbia estão cheios – "sobretudo de refugiados legítimos, que não podem ser deportados". Enfrentam “longos tempos de detenção, falta de higiene, malnutrição”, denuncia à Renascença o chefe de missão dos Médicos Sem Fronteiras em Trípoli.
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.