Silva Peneda diz que "seria um suicídio" se o PSD inviabilizasse o acordo de concertação social

21 jun, 2018 - 00:00 • Eunice Lourenço (Renascença) e Helena Pereira (Público)

Em entrevista à Renascença e ao jornal "Público", José Silva Peneda, coordenador do PSD para a área da Solidariedade e ex-presidente do Conselho Económico e Social apela ao grupo parlamentar para que honre o património genético do partido. Foi chamado por Rui Rio para coordenar a área da Solidariedade no Conselho Estratégico do PSD. É uma espécie de Governo-sombra de Vieira da Silva, que conhece há muitos anos e com quem trabalhou de perto quando presidiu ao Conselho Económico e Social.
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.