Daud Al Anazy. O refugiado sírio que faz doces em Alcobaça

20 jun, 2018 - 11:11

No dia mundial do refugiado, Daud Al Anazy regressa à manhã da Renascença. O sírio que escapou ao Estado Islâmico e sobreviveu a um naufrágio no Mar Egeu, antes de pedir asilo a Portugal, conta que "este ano está a correr muito bem", graças à libertação de Mossul, onde está a família. Em Alfeizerão, onde vive, já todos conhecem a batlava, um doce oriental que Daud faz diariamente na Casa do Pão do Ló. O jovem de 27 anos diz gostar de viver em Portugal, por ser um país "calmo", e revela o seu sonho: abrir um café árabe no país que o acolheu.
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.