Hora da Verdade

Marcelo, Costa e Angola: “Só faltava terem dançado apopleticamente"

17 mai, 2018 - 00:02 • Susana Madureira Martins (Renascença) e David Dinis (Público)

Os responsáveis políticos portugueses não deviam reagir a decisões de tribunais, como fizeram após o desfecho do caso Manuel Vicente, defende Sérgio Sousa Pinto. Em entrevista à Renascença e ao Público, o presidente da Comissão de Negócios Estrangeiros critica que os agentes políticos se tenham pronunciado "com um entusiasmo quase infantil". O deputado do PS esclarece ainda que, por defender "sempre a liberdade", votará favoravelmente a despenalização da eutanásia.
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.