|

PS acusa Governo de aprovar redução das indemnizações "à socapa"

03 jan, 2013

No Parlamento, Miguel Laranjeiro classificou o diploma de “inaceitável”, dizendo ainda que o Executivo desrespeitou o Presidente da República.

O PS acusou, esta quinta-feira, o Governo de desrespeitar as regras de consenso social mínimo e "até o Presidente da República", com a recente aprovação da proposta que reduz para 12 dias as indemnizações por despedimento, que diz ter sido feita "à socapa".

As críticas foram feitas pelo secretário nacional para a organização do PS, em plenário, na Assembleia da República, no período de declarações políticas.

Na sua intervenção, Miguel Laranjeiro citou por duas vezes a recente mensagem de Ano Novo do Presidente da República, nas passagens em que defendeu que a resolução dos problemas nacionais pressupõe diálogo e consenso e de que se impõe no país uma estratégia virada para o crescimento económico.

"Diálogo e consenso defendeu o Presidente, e o Governo o que fez? Apresentou uma medida [redução das indemnizações] quando não chegou a acordo na concertação social", apontou Miguel Laranjeiro.

“Isto demonstra um Governo isolado, que caminha sozinho, sem norte, virando as costas a um país inteiro, desrespeitando o consenso político e social mínimo, desrespeitando os trabalhadores, os parceiros [sociais] e agora até o Presidente da República", disse.

Entre outras acusações, Miguel Laranjeiro afirmou que o país está "perante um primeiro-ministro que não é de confiança, que falta à verdade" e perante um Governo que "falta à palavra dada" ao aprovar a proposta que reduz as indemnizações por despedimento.

Um diploma que o deputado socialista classificou depois como "inaceitável", tanto ao nível do seu conteúdo, como no que respeita à forma como foi aprovado.