"Qual é o rumo? Bruxelas". Temido ao leme de simulador náutico garante que socialistas sabem por "onde têm de ir"
28-05-2024 - 14:37
 • Susana Madureira Martins

A candidata do PS visitou a escola náutica Infante Dom Henrique e garante que está "sempre confortável ao leme" e que "normalmente" tem a "preocupação" pelos que viajam com ela.

"Ups, está abanar. Espero que não enjoem". Na única ação do dia, Marta Temido assumiu o leme de um simulador náutico na visita que fez à Escola Infante D. Henrique, em Paço de Arcos, onde usou de várias metáforas sobre o "rumo" dos socialistas na campanha para as eleições europeias de junho.

Na navegação simulada numa sala de realidade virtual, a cabeça de lista do PS deixou cair que "há uma coisa essencial" que lhe falta para "fazer esta operação bem feita, que é saber o rumo". Um assessor da caravana socialista lembra prontamente à candidata que "é Bruxelas".

O Parlamento Europeu é destino "certo", mas à candidata parece-lhe agora que, "francamente", só vê Almada no simulador. Correção: "Parece que estamos a andar em círculos", provocando a cada frase interpretações sobre a própria situação da caravana socialista. "Ah, foi corrigido e estamos a andar", despacha uma divertida ex-ministra da Saúde.

Depois, em declarações aos jornalistas, Temido continua a aproveitar a linguagem náutica para dizer que "não basta saber pilotar o navio, é preciso saber por onde vamos", garantindo que "os socialistas sabem por onde têm de ir, por onde têm de navegar para conduzir a União Europeia".

Essa navegação, segundo a cabeça do lista do PS vai no sentido da "resposta aos desafios tradicionais", ou seja, as politicas comuns na Agricultura e na área da Coesão, mas também no sentido de encontrar "respostas a novas necessidades na área da Segurança e da Defesa", não esquecendo o emprego.

Temido, em ambiente controlado, diz que se sente "sempre confortável ao leme" e que "normalmente" tem a "preocupação" pelos que viajam com ela. A cabeça de lista diz que quer que cheguem "em segurança ao destino".

Nas entrelinhas fica a ideia de que o PS quer ganhar estas eleições europeias, resta saber quantos candidatos é que chegam à viagem final a Bruxelas. A "grande vantagem" na experiência que teve como ministra da Saúde "é que nos prepara para qualquer coisa na vida". Ou seja, para vitórias ou derrotas.