Idosa de Gouveia recebe carta da Rainha de Inglaterra
Inserido em 04-10-2018 11:30

Jurou sempre a pés juntos ter estado com a Rainha de Inglaterra em 1957, quando Isabel II visitou Portugal, mas poucos acreditavam. Vitória Borges decidiu, aos 90 anos, escrever-lhe uma carta e teve resposta.

“Não estava à espera de coisa nenhuma, fiquei surpreendida”, conta Vitória Borges, 90 anos, com a carta da Rainha Isabel II nas mãos, assinada por uma assistente pessoal da monarca de Inglaterra. As palavras, escritas em inglês, são de agradecimento, em resposta a uma carta enviada por Vitória, no passado dia 4 de setembro.

Maria Vitória Borges recorda o tempo em que deixou Rio Torto, na Serra da Estrela, para ir trabalhar como doméstica, em Sintra. “Fui para casa de uma senhora chamada Maria Isabel, que era casada com Bernardo de Lima Mayer”, começa por revelar.

Vitória pormenoriza: a filha do patrão, Isabel de Lima Mayer, casou com Adriano Moreira, pelo que Vitória conheceu o então ministro do Ultramar. Em casa dos Lima Mayer, Vitória cozinhava, passava a ferro e, numa ocasião,teve um convite especial. “A senhora para quem trabalhava convidou-me para ir ver a Rainha de Inglaterra."

Isabel II, rainha de Inglaterra desde 1952, visitou Portugal em fevereiro de 1957, naquela que, então, foi considerada "a visita do século". Vitória recorda o seu contacto com a monarca: “Deu-me um beijinho, disse que gostava muito de Portugal. Poucas palavras. Foi só uma vista de olhos."

Uma vista de olhos que Vitória não mais esqueceu e que ao longos dos anos muitos, à sua volta, desacreditavam. Por isso, no passado dia 4 de setembro, a idosa de Rio Torto, Gouveia, enviou uma carta para o Palácio de Buckingham, dirigida à Rainha de Inglaterra. Escreveu-a com a ajuda de Ana Martinho, diretora técnica da Estrutura Residencial para Idosos de Rio Torto (ERPI), da Associação de Beneficência Popular de Gouveia (ABPG).

“Quis saber o passado dela e ela falou-me que tinha conhecido Salazar e a Rainha de Inglaterra. Achei interessante e decidimos escrever-lhe uma carta. E recebeu resposta”, relata Ana Martinho, interrompida por Vitória, que se apressa a dizer que “esta senhora doutora é que me ajudou”.

Vitória tem em mãos a carta enviada pela assistente pessoal da Rainha de Inglaterra e vai guardá-la como “um tesouro valioso”.

“Fiquei contente. Que Deus lhe dê saúde, foi só isso que pedi a Deus”, sorri.