Lutou contra o cancro e agora corre pela glória da Costa do Marfim no CAN: a história de Sébastien Haller
09-02-2024 - 17:20
 • Renascença

O ponta de lança do Dortmund foi o herói nacional ao marcar o golo da vitória na semifinal do CAN, conta a República Democrática do Congo, num torneio disputado em casa

O drama começou durante um treino do Borussia Dortmund na Suíça. Poucos dias depois de deixar o Ajax e se juntar ao clube alemão, Sébastien Haller foi diagnosticado com um tumor num testículo. E a vida começou a andar para trás, surgiram as dúvidas, as nuvens, as lutas diárias inesperadas. Agora, um ano e meio depois, empurrou a sua seleção para a final da Taça das Nações Africanas, com um golo frente à República Democrática do Congo.

Mas a carreira de Haller não se resume aos últimos dois anos. Os primeiros passos no futebol profissional foram dados na segunda divisão francesa, no Auxerre. Em 2014, foi emprestado ao Utrecht, clube da liga neerlandesa, e foi lá que começou a brilhar, mostrando que é um daqueles espíritos felinos que sabe que começar de baixo nada tem a ver com o destino final.

Na altura, nos Países Baixos, chamou a atenção de vários clubes europeus, mas acabou por escolher o West Ham, da Premier League. Até hoje, Haller é a contratação mais cara dos hammers, que desembolsaram qualquer coisa como 50 milhões de euros.

Acabou por não corresponder às expectativas do clube inglês e retornou à liga onde se marcam muitos golos, onde feras como Van Basten e Luis Suarez ganharam nome, para jogar pelo histórico Ajax, o clube mais importante do país da laranja mecânica.

Foi lá que conseguiu ser artilheiro da fase de grupos da Liga dos Campeões na época 2021/2022, acabando por marcar 11 golos na competição. Seguiu-se a Bundesliga, dentro da farda do Dortmund, uma transferência que se aproximou dos 35 milhões de euros. O internacional pela Costa do Marfim marcou 47 golos em 66 jogos pelo Ajax antes de se juntar à formação alemã.

O drama

No dia 19 de julho de 2022, o atacante costa-marfinense foi diagnosticado com cancro nos testículos, anunciou então o Borussia Dortmund, emocionando o mundo do futebol e arredores.

Durante os treinos que decorriam na Suíça, na pré-época do Dortmund, Haller sentiu-se indisposto e os exames trouxeram as notícias que ninguém quer ouvir.

Segundo a CNN, Haller foi submetido a duas operações e a quatro rondas de quimioterapia. Depois de seis meses de recuperação, voltou a pisar os relvados em fevereiro de 2023 e marcou o seu primeiro golo no Dia Mundial do Cancro.

“É um momento difícil de descrever, mas sobretudo este momento foi muito importante porque sabia que não era só sobre mim, era também sobre esta aventura, sobre este dia, sobre tudo. Foi um presente para muita gente.", disse Haller à CNN, no final da partida.

Na presente temporada, Haller já leva 14 jogos e dois golos pelo Borussia Dortmund.

Começou a sua carreira internacional a jogar nas camadas de base da seleção francesa, mas em 2020 foi convocado para jogar pela Costa do Marfim e aceitou o desafio. Foi pelo país africano que consolidou o nome no panorama das seleções.

Antes do golo da passada quarta-feira, na semifinal do CAN, o avançado imponente levava sete golos em 21 jogos pela Costa do Marfim.

O Campeonato das Nações Africanas está a ser disputado em casa e Haller tem ajudado a manter vivo o sonho da sua seleção, que teve um início tremido no torneio. Segue-se a final contra a Nigéria de José Peseiro, no domingo, pelas 20 horas.