​As contas ainda não estão fechadas
10-05-2024 - 07:32

O Sporting foi, incomensuravelmente, a melhor e mais regular equipa da prova.

A duas jornadas do termo do campeonato restam ainda algumas dúvidas por esclarecer, tanto no topo como no fundo da tabela.

Desde logo, as participações europeias da próxima temporada, em que estão envolvidos o FCPorto Sporting de Braga e Vitória de Guimarães, juntando as descidas de divisão e o play-off onde estão envolvidas o Desportivo de Chaves no primeiro caso e, depois, Portimonense e Estrela da Amadora.

Claro que há tarefas várias, umas mais complicadas do que outras, consoante as dificuldades que estas equipas têm pela frente. Os flavienses são aqueles que enfrentam situação mais complicada mas, no tocante ao play-off tudo pode vir a acontecer.

No topo da classificação a casa está mais ou menos arrumada, restando saber se o Benfica vai ter acesso directo à fase de grupos da Champions do próximo ano ou se terá de se submeter à participação numa pré-eliminatória, o que só ficará esclarecido após a realização da final da Liga Europa e da posição do Bayer Leverkusen nesse desafio.

Olhando para este quadro é justo reconhecer que o campeonato português teve, apesar de tudo, algumas virtualidades: foi competitivo r manteve a dúvida até ao fim, pese embora não se possa afirmar que a qualidade tenha sido uma das suas notas de maior relevo, e surgiram também algumas figuras que ajudaram ao destaque.

O Sporting foi, incomensuravelmente, a melhor e mais regular equipa da prova, deixando também sinais de que o clube de Alvalade pode estar de volta à disputa pelas posições cimeiras, dando assim por terminado aquele tempo em que Benfica e Porto dividiam entre si todos os louros, de forma quase sempre alternada, e sem permissão de intromissões estranhas.

E se os leões forem capazes de manter as performances a que agora chegaram, é caso para dizer que o futebol português chegou a uma nova era, susceptível de fazer discutir o poder para além daqueles que na Europa dominaram durante anos a fio.

E seria igualmente bom que esse patamar viesse a ajudar a colocar Portugal no mapa do futebol internacional, depois de tantos anos em que apenas a nível de selecções mereceu o respeito e a atenção dos demais adversários sobretudo do velho continente.