Portugal pode perder a soberania no ar, avisa chefe do Estado-Maior da Força Aérea
17-05-2024 - 09:49
 • João Malheiro

O responsável apela ao Estado para adquirir 27 caças norte-americanos F-35A, para substituir os atuais F-16 que já levam cerca de 30 anos de serviço.

O chefe do Estado-Maior da Força Aérea (CEMFA) avisa que Portugal pode perder a sua soberania aérea se não fizer os investimentos necessários.

Ao semanário "Expresso", João Cartaxo avisa que "sem caças credíveis" a defesa aérea e a sua soberania "não existe".

Por isso, o responsável apela ao Estado para adquirir 27 caças norte-americanos F-35A, para substituir os atuais F-16 que já levam cerca de 30 anos de serviço.

O novo modelo "envolve uma tecnologia que não está disponível e obriga a um desenvolvimento tecnológico da Força Aérea e do cluster aeronáutico nacional", segundo explica o especialista.

Ao todo, isto implicaria um gasto de cinco mil milhões de euros em 20 anos.

O CEMFA explica que, mesmo que Portugal acompanhe já a NATO e integre o programa da quinta geração de armamento, o primeiro jato só deverá chegar passado oito ou dez anos. E teme que o país esteja a "ficar sozinho", à medida que grande parte dos países avança para tecnologias e veículos mais avançados e modernos.