Abuso de menores. Comissão do Vaticano quis ouvir experiência portuguesa
24-05-2024 - 18:00
 • Ana Catarina André - enviada da Renascença a Roma

Bispos portugueses reúnem-se com a Pontifícia Comissão para a Tutela dos Menores, num encontro a pedido da Santa Sé. Segundo D. José Ornelas, falou-se do percurso que a Igreja em Portugal tem feito no acompanhamento das vítimas de abuso e na prevenção destes crimes

Os bispos portugueses reuniram-se esta sexta-feira, em Roma, com a Pontifícia Comissão para a Tutela dos Menores. O encontro com este organismo criado pelo Papa Francisco para promover o acompanhamento e a prevenção de casos de abuso na Igreja aconteceu a pedido do Vaticano.

“Foi esta comissão que ontem nos veio contactar. Gostaria de ouvir da nossa boca o que é que tinha sido a nossa experiência”, disse D. José Ornelas, em declarações à Renascença/Agência Ecclesia, acrescentando que, na reunião, foi abordada também a articulação entre a Igreja em Portugal e esta comissão, para que, em conjunto, possam “aprender uns com os outros” e com o que vão fazendo.

Em declarações após o encontro, D. José Ornelas garantiu que a Igreja em Portugal está a dar passos no combate e na prevenção destes crimes. “A Igreja é segura, mas tem de constantemente adaptar as suas medidas de segurança aos diversos contextos culturais, às diversas situações. Em Portugal é isso que procuramos fazer.”

O presidente da Conferência Episcopal e bispo de Leiria-Fátima lembrou, ainda, os pedidos de tolerância zero feitos pelo Papa Francisco no que diz respeito a este tipo de casos. “Essa tolerância zero tem de ser muito bem pensada para dar resultado. É isso que estamos procurando fazer: com gente capaz, com boa vontade de todos”, disse. E acrescentou: "Temos de trabalhar juntos para que a Igreja seja verdadeiramente aquilo que é chamada a ser: cuidadora de fragilidades. No seio dela não há lugar para abusadores”.

A reunião entre os bispos portugueses e a Pontifícia Comissão para a Tutela de Menores aconteceu esta tarde, já depois de a visita ad limina dos bispos portugueses ter terminado.