Cabaz alimentar. "IVA zero está a ficar aquém" na redução dos preços
24-08-2023 - 16:11
 • Renascença

Rita Rodrigues, da Deco Proteste, adianta que há uma tendência generalizada de subida dos preços.

A diretora de comunicação da Deco Proteste, Rita Rodrigues, considera que a medida "IVA zero" do Governo não tem um grande impacto na redução dos preços do cabaz alimentar, após divulgação dos preços do cabaz alimentar da associação de consumidores.

"A medida IVA zero começa a ter menor impacto no bolso dos consumidores e chegamos a perceber, inclusivamente, que há uma tendência para ela começar a reduzir esse impacto, claramente. Neste momento, até está a ficar aquém daquilo que seria o raciocínio teórico de retirar o IVA de 6% para 0% e ter aqui um impacto imediato", admite.

A Deco Proteste analisa semanalmente os preços de um cabaz alimentar com produtos essenciais e outro de produtos com IVA zero.

Em relação à semana passada, os preços dos cabazes alimentares da Deco Proteste subiram 1,01% e 0,64%, respetivamente.

A seleção de alimentos essenciais da associação de consumidores fixa-se, agora, em 211,94 euros, enquanto que o cabaz de produtos sem IVA sobe para 127,97 euros.

De acordo com os resultados apresentados pela Deco Proteste, as frutas e os legumes foram os alimentos que menos baixaram o preço, desde a entrada em vigor da medida de isenção do IVA. As laranjas e os bróculos, por exemplo, viram os seus preços aumentar mais de 30%.

Em relação ao peixe e à carne, que segundo a associação de defesa do consumidor, são as categorias que mais pesam na carteira das pessoas, a redução dos preços é de pouco mais de quatro euros por quilo de peixe e dois euros por quilo de carne.

Rita Rodrigues diz que, nas últimas três semanas, "deixou de haver uma redução do preço. A tendência de aumento está a verificar-se nos dois cabazes [de alimentos essenciais e de IVA zero], obviamente, no cabaz de IVA zero, com menor expressão".

Em julho, o Governo decidiu prolongar a medida até ao final do ano.