TAP. O que está em causa na saída de Christine Ourmières-Widener?
04-04-2023 - 19:45
 • Miguel Coelho

Pela segunda vez em pouco mais de dois meses, a CEO da companhia aérea TAP foi ouvida no Parlamento.

O Explicador Renascença volta ao tema TAP.

Pela segunda vez em pouco mais de dois meses, a CEO da companhia aérea TAP foi ouvida no Parlamento.

O que é que mudou, entretanto?

Mudou quase tudo.

Basta lembrar que, entretanto, a própria Christine Ourmières-Widener recebeu a nota de despedimento por parte do Govreno e, apesar de regressar esta tarde ao Parlamento, ainda como presidente-executiva da TAP, já sabe que está prestes a "descolar".

Vai mesmo deixar o cargo que um dia qualificou como "o pior emprego do país".

Quem a vai substituir?

A gestora francesa vai ser substituida nos próximos dias por Luís Rodrigues (vindo da SATA).

Medina e Galamba anunciaram o seu afastamento, por alegada justa causa, na sequência do relatório da Inspecção-Geral de Finanças.

Christine admite, contudo, recorrer a tribunal contra a Inspecção Geral de Finanças. Declara-se "perplexa" por não ter sido ouvida pessoalmente pela IGF "no âmbito da auditoria".

E não foi ouvida pessoalmente porquê?

Não foi ouvida porque não fala português.

A explicação avançada aos deputados pelo Inspector-Geral das Finanças foi mesmo essa: A CEO da TAP expressa-se numa lingua diferente.

Ora bem, o facto de não falar português poderia, segundo António Ferreira dos Santos, ser pretexto para evitar responder às duvidas da IGF.

De recordar que a 18 de Janeiro, Christine Ourmières-Widener dirigiu-se aos deputados em inglês e, realmente, ficaram algumas perguntas sem resposta. Não revelou, na altura, por exemplo, se foi Alexandra Reis a demitir-se ou se foi demitida.