Tempo
|
A+ / A-

Homenagem a Luís Sepúlveda com dois livros, um com inéditos, outro de poesia

24 jan, 2023 - 14:50 • Maria João Costa

A Porto Editora revelou que irá publicar a poesia inédita do escritor Luís Sepúlveda. Também este mês, será lançado um livro de memórias do autor chileno com textos inéditos. Para os próximos meses, a editora anuncia também a publicação do novo livro de Isabel Allende, Leonardo Padura, Rosa Montero e do brasileiro Rafael Gallo, o vencedor do Prémio Saramago 2022.

A+ / A-

Os dois novos livros com obra inédita do escritor Luís Sepúlveda serão lançados no Festival Correntes d’Escritas, na Póvoa de Varzim. Trata-se de dois livros distintos, um deles reúne a poesia do autor chileno que morreu vítima de Covid-19 e o outro retrata 30 anos de amizade entre o autor e o fotógrafo argentino Daniel Mordzinski.

O anúncio foi feito esta terça-feira, em Lisboa, pela Porto Editora que publica as duas obras. Segundo o editor Vasco David, a obra poética de Sepúlveda reflete “questões políticas e ideológicas”. A obra “O Caçador Descuidado: Poesia Reunida (1967-2016)”, com prefácio José Luís Peixoto, e edição bilingue, aborda temas como o exílio, a luta política e “alguns lugares de afetos” do escritor.

Ao mesmo tempo, e para celebrar 30 anos de “amizade, de histórias, de viagens e imagens”, será também lançado o livro “Mundo Sepúlveda” que reúne textos inéditos do escritor chileno com fotografias captadas por Daniel Mordzinski com quem no passado já tinha editado livros.

“É um livro imaginado por Daniel Mordzinski, com textos inéditos e onde há um diálogo com imagens do Daniel”, explicou Vasco David, que nesta apresentação em Lisboa destacou também o lançamento do livro “Dor Fantasma” do brasileiro Rafael Gallo, que venceu em 2022 o prémio José Saramago.

Nos próximos meses chegarão ao mercado livreiro outras obras, nomeadamente em março, o novo livro do escritor Richard Zimler. Trata-se da “continuação da saga da família Zarco”. "A Aldeia das Almas Desaparecidas” é um livro que tem uma escrita “forte”, indicou o editor que enumerou um episódio do livro com a “descrição de um auto de fé em Madrid”.

No plano internacional, os leitores vão ter nos próximos meses a oportunidade de ler os mais recentes livros de autores como o cubano Leonardo Padura e Isabel Allende. “Pessoa Decentes”, o mais recente título de Padura, é um novo policial que “põe a nu a realidade cubana”, explicou Vasco David, que acrescentou que Padura “nunca foi tão abertamente crítico em relação ao regime” cubano nos seus livros.

Outra das novidades é o novo livro de Isabel Allende que aos 80 anos “continua a escrever narrativas”, diz a editora que indica que a obra “fala de exílio e emancipação feminina, num contexto mais contemporâneo”.

Ao longo dos próximos meses, a Poro Editora através da chancela Livros do Brasil vai também lançar mais obras da Nobel Annie Ernaux. Já em fevereiro será lançado “O Jovem”, um livro sobre “o tempo e a memória” e em março sairá “Memória de Rapariga” que fala sobre o despertar da sexualidade, numa escrita “muito direta, dura e violenta”, indicou a editora.

De Rosa Montero será lançado no âmbito do Festival Correntes d’Escritas o livro “O Perigo está no Meu Perfeito Juízo”. É uma obra em que a autora espanhola “usa os seus artefactos literários e reflete sobre loucura e criatividade”, indicou a editora.

Além de novos livros de autores como João Pedro Marques, Bruno Paixão ou José Gomes Mendes, há também novidades na área da poesia. A Assírio e Alvim vai reeditar a obra “Lúcialima” de Maria Velho da Costa, outros livros de Jorge de Senna, Luíza Neto Jorge e Pedro Homem de Mello que estão esgotados há muito.

Sairá também uma coletânea de Rainer Maria Rilke e será publicada pela primeira vez em Portugal a obra poética da brasileira Mar Becker.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+