Tempo
|
A+ / A-

Japão lança primeira missão privada na superfície da Lua esta quarta-feira

29 nov, 2022 - 17:55 • Lusa

A missão Hakuto-R 1, da empresa japonesa iSpace, tem lançamento previsto para as 8h39.

A+ / A-

A primeira missão privada na superfície da Lua, a cargo do Japão, vai ser lançada na quarta-feira e servirá para realizar uma série de experiências, indicou esta terça-feira a Agência Espacial Europeia (ESA), entidade parceira.

A missão Hakuto-R 1, da empresa japonesa iSpace, tem lançamento previsto para as 8h39 (hora portuguesa), a partir da Florida, Estados Unidos, a bordo do foguetão Falcon 9, da companhia norte-americana SpaceX.

A ESA será responsável pelas comunicações entre o módulo de alunagem da iSpace (equipado com vários instrumentos) e as equipas técnicas da empresa na Terra durante toda a missão, que tem uma duração de três a cinco meses.

Em Tóquio, no Japão, o centro de controlo da missão irá monitorizar e enviar instruções ao módulo lunar e receber os dados científicos recolhidos durante as experiências que forem feitas na superfície da Lua.

Criada em 2010, a empresa iSpace especializou-se na construção de módulos de alunagem e robôs e propõe-se fornecer serviços de transporte de carga de baixo custo e frequentes para a Lua.

A filial da companhia nipónica nos Estados Unidos integra um consórcio que assinou um contrato com a agência espacial norte-americana (NASA) para a alunagem de serviços de carga até 2025.

A filial do Luxemburgo foi selecionada pela ESA para fazer parte de um programa que visa extrair água da Lua (o polo Sul é rico em gelo).

A superfície da Lua já foi visitada por robôs, sondas e astronautas em missões de agências espaciais estatais.

Apenas astronautas norte-americanos estiveram em solo lunar, entre 1969 e 1972. Os Estados Unidos querem regressar à superfície da Lua, em 2025, com a primeira mulher e o primeiro negro.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+