Tempo
|
A+ / A-

Algarve

Festival Mochila com teatro, música e novo circo para crianças até aos 120 anos

03 nov, 2022 - 12:29 • Maria João Costa

À segunda edição, o Festival Mochila, que hoje arranca em Faro, alarga o seu público. São 12 espetáculos de música, teatro, novos circo, cinema e performance pensados para toda a família. Noiserv, Teatro Praga, Fernando Mota, João Paulo Santos são alguns dos artistas que marcam presença.

A+ / A-

“Numa feira onde se vende de tudo, um rapaz rico não resiste a comprar tudo o que vê. Vibra ao sentir aquilo que o dinheiro lhe permite alcançar”, este é o resumo do espetáculo “O Valor das Pequenas Coisas”, que estreia esta quinta-feira no Teatro Lethes, em Faro, e que abre a 2.ª edição do Festival Mochila.

Escrita pelo autor David Machado, a peça com sessões para escolas e famílias é uma coprodução do Lama Teatro e do LU.CA Teatro Luís de Camões, que fala sobre o valor do dinheiro aos mais novos. É o espetáculo que dá o pontapé de saída ao festival, que pretende ser “para toda a família”, diz João de Brito ao programa "Ensaio Geral" da Renascença.

Segundo o diretor artístico do Festival Mochila, que decorre até dia 12 de novembro em Faro, há na edição deste ano outras estreias. A 9 e 10 de novembro, na Biblioteca Municipal de Faro – António Ramos Rosa é apresentado o “Puzzle”, “um projeto com a comunidade farense e algarvia em coprodução com o Teatro das Figuras” e que junta um conjunto de histórias reais.

“Grande parte da programação abrange toda a família”, explica João de Brito, que considera que esse alargamento do público-alvo faz parte de um dos “melhoramentos da segunda edição” do Mochila. Outra das apostas foi “alargar a outros equipamentos culturais”, os espetáculos, muitos deles com entrada gratuita e alguns em espaços ao ar livre.

São propostas que abrangem “desde bebés até aos 120 anos”, reforça João de Brito, que dá como exemplo as ações de formação musical que o músico Noiserv vai apresentar. Além de participar no espetáculo “O Valor das Pequenas Coisas” ao vivo, o artista vai fazer uma ação chamada “A Música na Ponta dos Dedos”, onde “transforma objetos do quotidiano” em instrumentos, indica o diretor João de Brito.

À solta por Faro por estes dias andará também um grupo de jovens estudantes com mochila às costas.

“O Gangue das Mochilas é um grupo de cerca de 50 jovens do curso de Artes do Espetáculo da Escola Secundária Tomás Cabreira que vai andar pelas ruas de Faro, com pequenas performances e intervenções artísticas, com o programa do festival que vão entregar às pessoas que passam”, explica o diretor.

No programa há muito mais para explorar, desde espetáculos de teatro escritos pelas autoras Alice Vieira ou Joana Bértholo à peça MacBad, em que a companhia Teatro Praga explora o texto clássico de William Shakespeare, passando pelo cinema, com o filme “O Garoto” de Charlie Chaplin. Todo o programa está disponível no site do Lama Teatro, o produtor do Festival Mochila.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+