Tempo
|
A+ / A-

“Olhares Modernos. O retrato da pintura, escultura e desenho” da primeira metade do século XX chega a Chaves

27 out, 2022 - 11:50 • Olímpia Mairos

Com cinco lógicas de pensamento e representação diferentes, estarão em exibição cerca de 70 obras, de 45 artistas, dos quais se destacam Eduardo Viana, Carlos Botelho, Paulo Ferreira, José Tagarro e Querubim Lapa.

A+ / A-

O Museu de Arte Contemporânea Nadir Afonso (MACNA), em Chaves, inaugura esta sexta-feira a exposição "Olhares Modernos. O retrato da pintura, escultura e desenho (1919-1950)”.

Com curadoria de Maria de Aires Silveira, o espólio em exposição aborda a estética do retrato e irá mostrar o registo de identidades, expressividades e também destacar o diálogo entre o retrato e a envolvente, entre a figura e a paisagem, desde 1910 a 1950.

Com cinco lógicas de pensamento e representação diferentes, estarão em exibição cerca de 70 obras, de 45 artistas, dos quais se destacam Eduardo Viana, Carlos Botelho, Paulo Ferreira, José Tagarro e Querubim Lapa.

Segundo a curadora, esta exposição não demonstra “preocupação por divisões cronológicas, deixa-se transparecer a vontade de registar identidades, captar expressões e até uma poética fantasista, mas também a importância da revelação dos modelos representativos das mudanças sociais e o diálogo entre o retrato e os espaços envolventes, entre a figura e a paisagem, desde 1910 a 1950”.

A mostra em Chaves surge de um protocolo estabelecido entre a Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) e a Câmara Municipal, através do Museu Nacional de Arte Contemporânea, Chiado (MNAC), uma entidade de referência museológica constituída por uma vasta coleção de arte, com o objetivo de promover a difusão, investigação e a descentralização da cultura.

A exposição pode ser visitada no MACNA, em Chaves, até dia 30 de julho de 2023.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+