Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Centro das Artes José de Guimarães vai "esvaziar" as reservas para as expor ao público

07 set, 2022 - 15:03 • Lusa

A exposição “1.128 Objetos” é um “projeto algo ambicioso”, classifica a diretora artística do CIAJG, Marta Mestre. As exposições ficam patentes até 26 de fevereiro de 2023.

A+ / A-

O Centro Internacional das Artes José de Guimarães (CIAJG), em Guimarães, vai “esvaziar” as reservas para as mostrar, na íntegra, ao público, numa exposição que adota o título do número de peças a expor: “1.128 objetos”.

“Vamos esvaziar as reservas do CIAJG e a coleção toda sobe ao piso 1”, afirmou Marta Mestre, durante uma apresentação para a imprensa da programação do próximo quadrimestre da cooperativa.

Na prática, trata-se da totalidade das peças reunidas pelo CIAJG ao abrigo da cedência, em regime de comodato, pelo artista José de Guimarães, que “vai agora poder ser vista em toda a sua extensão”.

“A exposição ocupa a totalidade do primeiro piso e a sua montagem é deliberadamente experimental, procurando fluidez entre as ‘reservas’ e as salas de exposição”, pode ler-se no programa daquele espaço museológico.

Como recorda a página do centro, "a coleção do CIAJG é composta por um conjunto de obras do artista José de Guimarães, assim como por arte africana, arte pré-colombiana e arte antiga chinesa, selecionadas pelo artista. No total, o acervo do CIAJG é composto por 1.128 objetos, entre cerâmica, escultura, desenho, instalação, têxtil, pintura, pintura e artes gráficas".

A inauguração acontece no dia 08 de outubro, dia em que também vão ser abertas mostras pela espanhola Sara Ramo, André Tavares e Ivo Poças Martins, para além de “Things in motion”, de Pedro Huet, Darks Miranda, Mariana Caló e Francisco Queimada, entre outros.

“Things in motion” é um “arquivo de imagens fixas e de imagens em movimento que enfatiza as relações cruzadas entre o surrealismo, a etnografia, a arte contemporânea, o Carnaval e o colonialismo”, ficando distribuído ao longo da exposição “Heteróclitos 1.128 objetos”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+