Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

Portugueses estão a comprar mais livros. Vendas subiram mais de 17%

15 jul, 2022 - 19:49 • Redação, com Lusa

No segundo trimestre de 2022 foram vendidos quase 2,8 milhões de livros.

A+ / A-

Entre abril e junho deste ano as vendas de livros em Portugal aumentaram 17,6% face ao período homólogo de 2021, avança a Associação Portuguesa de Editores e Livreiros (APEL).

Os dados da consultora GfK mostram que, no segundo trimestre de 2022, foram vendidos 2.780.308 livros.

O valor de vendas corresponde a 37,4 milhões de euros, o que equivale a um aumento de 19% face ao período homólogo de 2021.

Durante o período compreendido entre abril e junho, entraram em circulação no mercado português 2.478 novos livros e o preço médio do livro fixou-se nos 16,46 euros, valor 1,2% mais caro que no ano anterior.

De acordo com o a APEL, mais de metade dos livros (68,8%) foram vendidos por livrarias, deixando os restantes 31,2% para serem escoados pelos hipermercados.

Estes valores representam, respetivamente, 77,8% e 22,2% dos valores de venda.

O género com exemplares mais vendido foi literatura infantil e juvenil, que equivale a 36% das vendas, seguido dos livros de ficção (30,7%) e os de não ficção (29,7%).

No que diz respeito às receitas, a maior fatia do bolo vai para os livros de não ficção, que alcançam os 36,4% do valor total, com um preço médio de venda de 16.51€, seguindo-se os de ficção (35%) com o valor médio de 15.36€ e os de literatura infantil e juvenil, cujo preço médio foi de 10.33€.

É de salientar que, após dois anos de pandemia, verifica-se um aumento no interesse dos portugueses em livros sobre saúde ou lifestyle.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+