Tempo
|
A+ / A-

Projeto "Skyline"

Gaia vai ter "o edifício mais alto de Portugal"

15 jul, 2022 - 12:37 • Lusa

Hotel com 100 metros de altura envolve um investimento de 150 milhões de euros. Projeto ‘Skyline’, desenhado para a zona de General Torres, deverá “criar pelo menos 500 postos de trabalho”, indica promotora.

A+ / A-

Vila Nova de Gaia vai ter um hotel com 160 quartos e 111 apartamentos, um edifício de 100 metros de altura que será “o mais alto de Portugal” e custará 150 milhões de euros, indicou esta sexta-feira a promotora.

Numa resposta enviada à agência Lusa, a Fortera Properties descreveu que o projeto ‘Skyline’, desenhado para a zona de General Torres, deverá “criar, diretamente, pelo menos, 500 postos de trabalho”.

Trata-se de um hotel integrado no projeto do futuro Centro de Congressos de Vila Nova de Gaia, no distrito do Porto.

Com um custo inicial de 120 milhões de euros, o projeto da Fortera, que atua no ramo do imobiliário de luxo, foi revisto em alta para 150 milhões devido “a alterações necessárias ao projeto e aos expressivos aumentos no setor da construção”, lê-se na resposta à Lusa.

A torre ‘Skyline’ terá 28 andares, 160 quartos de hotel e 111 apartamentos com serviço, um terraço, uma piscina descrita como “infinita”, um clube de bem-estar, bar, dois restaurantes e vista panorâmica.

O projeto começará com o parque de estacionamento público e “a praça do Centro de Congressos que é, naturalmente, o catalisador deste empreendimento de uso misto”, descreve a promotora.

“Terá impacto em toda a região Norte”, consideram os responsáveis.

O arranque do projeto está previsto para o próximo ano, estando ainda dependente da análise do Departamento Técnico da Câmara de Vila Nova de Gaia.

A construção do empreendimento deverá ficar concluída em três anos.

Este hotel é uma das peças do futuro Centro de Congressos de Gaia, um projeto para cerca de 2.500 congressistas que, de acordo com o revelado pelo presidente da autarquia local em julho de 2020, será desenhado pelo arquiteto Eduardo Souto de Moura.

Em causa está um equipamento cujo modelo de execução implica que a Câmara permita ao promotor privado construir e gerir uma zona residencial, um hotel e uma zona de comércio.

O modelo de execução do futuro Centro de Congressos de Gaia foi aprovado pela maioria PS em maio de 2020 com os votos contra do PSD.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+