Tempo
|
A+ / A-

Rui Moreira e o futuro do ​Rivoli: "Não preciso de nomear um novo diretor artístico amanhã"

20 mai, 2022 - 15:19 • Núria Melo

O presidente da Câmara do Porto afasta urgência em nomear uma nova direção para Teatro Municipal. Tiago Guedes deixa o Rivoli e vai para a Maison de la Danse, de Lyon.

A+ / A-

O presidente da Câmara do Porto diz que não há urgência para encontrar a nova direção do Teatro Municipal do Porto (TMP), depois da nomeação de Tiago Guedes para a Maison de la Danse, de Lyon.

"Não preciso de nomear um novo diretor artístico amanhã", diz Rui Moreira.

O autarca salienta que a equipa do teatro "permite garantir a continuidade deste processo durante tempo suficiente até que sejam encontradas uma, ou mais, direções artísticas".

Rui Moreira falava hoje a par com Tiago Guedes numa conferência de imprensa convocada sobre a saída do diretor do TMP e o futuro do Rivoli.

Moreira garantiu que irá "manter o festival DDD e continuará a ser organizado pelo TMP". O presidente da Câmara do Porto garantiu que "a temporada está programada".

Tiago Guedes deixa em junho a direção artística do Teatro Municipal do Porto e parte para Lyon, vai assumir a direção da Maison de la Danse e a codireção da Bienal da Dança, em França.

Apesar de referir que "poucos ou nenhuns seriam os projetos que me fariam querer sair do Porto", Tiago Guedes defende que os diretores artísticos de instituições "não se devem eternizar nos cargos".

O bailarino e coreógrafo diz que "é bom sair quando as coisas ainda estão muito bem". Tiago Guedes fala em "8 anos de construção pessoal e profissional".

O TMP já colabora com a Maison de la Danse de Lyon há vários anos, Rui Moreira e Tiago Guedes acreditam que "essas colaborações, certamente, vão-se intensificar".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+