Tempo
|
A+ / A-

Obra de Andy Warhol com Marilyn Monroe vai a leilão por 180 milhões

21 mar, 2022 - 20:24 • Lusa

Verba angariada com a venda da serigrafia "Shot Sage Blue Marilyn" será destinada a programas de apoio para prestação de cuidados de saúde e programas educacionais.

A+ / A-

A serigrafia "Shot Sage Blue Marilyn", de Andy Warhol, vai a leilão em maio, com uma estimativa de 200 milhões de dólares (cerca de 180 milhões de euros), anunciou hoje a leiloeira internacional Christie's, em comunicado.

A obra é proveniente da coleção da Fundação Thomas e Doris Ammann, com sede em Zurique, na Suíça, e todos os rendimentos da venda beneficiarão a entidade dedicada a melhorar a vida das crianças em todo o mundo, criando sistemas de apoio para prestação de cuidados de saúde e programas educacionais.

Com 100% das receitas destinadas à caridade, a Christie's afirma, no comunicado, esperar que venha a ser "a obra de arte mais cara do século XX", e torne este "o leilão filantrópico de valor mais elevado" desde a venda da coleção privada dos milionários norte-americanos Peggy e David Rockefeller, em 2018.

A serigrafia, com um metro, apresenta a atriz norte-americana Marilyn Monroe com o rosto pintado de cor-de-rosa, cabelo amarelo, lábios rubi, e sombra azul nos olhos.

Andy Warhol, considerado o pai da ´pop art´, produziu quatro obras depois da morte da atriz, em 1962, que ficaram conhecidas como as "Shot Marilyns", todas do mesmo tamanho, e com fundos de cores diferentes.

"Esta é a pintura mais significativa do século XX a ser leiloada numa geração. Marilyn de Andy Warhol é o auge absoluto do pop americano e a promessa do sonho americano, que reúne otimismo, fragilidade, celebridade e iconografia ao mesmo tempo", considera Alex Rotter, presidente da Christie's, citado no comunicado.

O responsável coloca a obra ao nível de pinturas como "Nascimento de Vénus", de Sandro Botticelli, "Mona Lisa", de Leonardo Da Vinci, e "Les Demoiselles d'Avignon", de Pablo Picasso, considerando-a "uma das melhores pinturas de todos os tempos".

A serigrafia já foi exibida nalguns dos mais importantes museus do mundo, como o Museu Guggenheim, em Nova Iorque, o Centro Georges Pompidou, em Paris, a Tate Modern, em Londres, o Centro de Arte Rainha Sofia, em Madrid, ou a Neue Nationalgalerie, em Berlim.

Em 1998, a leiloeira Sotheby's vendeu a obra com Marilyn sobre fundo laranja por 17 milhões de dólares (15,4 milhões de euros).

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+