Tempo
|
A+ / A-

Setúbal. Arrancam obras da última fase do Museu/Convento de Jesus

03 fev, 2022 - 13:49 • Rosário Silva

O projeto de requalificação deste equipamento cultural abrange três fases de intervenção, num investimento global de perto de nove milhões de euros.

A+ / A-

A beneficiação e o alargamento da área expositiva do Museu de Setúbal/Convento de Jesus, avança este mês fevereiro.

Trata-se da terceira e última fase do projeto de requalificação deste equipamento cultural, num investimento superior a dois milhões de euros.

A empreitada “Museu de Setúbal - Recuperação do Convento de Jesus - Alas Norte e Nascente” foi adjudicada a uma empresa da especialidade, que tem agora pouco mais de um ano para a executar.

A intervenção é promovida pela Câmara Municipal de Setúbal e visa, após duas fases anteriores de obras, “finalizar a recuperação do Museu de Setúbal/Convento de Jesus, com a execução de trabalhos no interior das salas expositivas, localizadas nas alas norte e nascente, que incluem os projetos de conservação e restauro, museografia e de iluminação museológica”.

Na nota enviada à Renascença, o município sadino explica que a empreitada, “incide nos pisos 0 e 1”, incluindo “o alargamento da área expositiva e beneficiações na zona exterior, designadamente no Pátio do Claustro”, além de “trabalhos de especialidades ao nível de estruturas, instalações elétricas e instalações mecânicas de climatização e ventilação”.

O projeto de requalificação do Museu de Setúbal/Convento de Jesus abrange três fases de intervenção e representa um investimento global de perto de nove milhões de euros. O município suporta metade do valor e o restante é proveniente de fundos comunitários que resultam de candidaturas aprovadas pelo Lisboa 2020 – Programa Operacional Regional de Lisboa.

A primeira fase das obras de requalificação, concluída em 2015, incidiu na recuperação estrutural de todo o convento, com execução da cobertura e restauro da ala poente. A ala nascente e duas outras salas foram também intervencionadas e construiu-se um novo edifício para a área técnica do Museu de Setúbal.

Nesta mesma fase, procedeu-se ao escoramento integral da Sala do Coro Alto e Deambulatório, uma vez que apresentava sinais de degradação muito avançados. A necessidade de centrar atenções na Sala do Coro Alto fez com que os trabalhos previstos na primeira empreitada não tenham sido concluídos no piso térreo, “para assegurar a prevenção e salvaguarda do património integrado até estarem garantidas as condições de estabilidade e segurança”.

Quanto à segunda fase do projeto, ficou concluída em outubro de 2020, tendo sido executada toda a envolvente exterior do convento, assim como o Deambulatório, a cafetaria, duas salas, a Sala da Roda e instalações sanitárias.

De acordo com a autarquia, “o sistema composto de reboco à base de cal para o revestimento exterior do edifício está enriquecido com cortiça, incorporando, assim, capacidades desumidificantes e de isolamento térmico e acústico”. A conclusão da segunda fase do projeto permitiu a reabertura de mais espaços de visita ao público, em particular a Sala do Capítulo, os Claustros e a Sala do Coro Alto.

Em simultâneo, na Igreja de Jesus procedeu-se a uma “intervenção de luminotécnica, destinada a melhorar a eficiência energética do edifício” e, também, a destacar todos “os elementos arquitetónicos e decorativos que definam as três naves do templo e da capela-mor”.

Já no exterior, o Largo de Jesus, espaço público defronte do edifício conventual, foi totalmente renovado, “com a criação de amplas zonas de relva e árvores”, depois de “uma intervenção que incluiu a recuperação e relocalização para a posição original do cruzeiro ali instalado”, indica a Câmara Municipal de Setúbal.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+