Tempo
|
A+ / A-

Fundão recebe espetáculo que celebra a vida e obra de Eugénio de Andrade

21 jan, 2022 - 10:15 • Lusa

Com a poesia do escritor como mote, o espetáculo tem ainda a particularidade de envolver a comunidade local.

A+ / A-

O Fundão recebe no sábado o espetáculo "Poesia em Eugénio", que celebra a vida e obra de Eugénio de Andrade, num cruzamento entre várias disciplinas artísticas unidas através das "palavras" do poeta que nasceu naquele concelho.

"É um espetáculo que tem poesia, teatro, música, cinema e dança e que tem como linha condutora as palavras de Eugénio de Andrade. Será Eugénio de Andrade a unir todos os elementos, sendo que tudo gira à volta dele", explicou à agência Lusa o diretor artístico do espetáculo, Rui Sérgio.

Com apresentação marcada para sábado, às 21h00, no auditório d"A Moagem, o espetáculo resulta de um projeto da Fundação Inatel, desenvolvido com apoio da Câmara do Fundão e que tinha estreia marcada para 2020, mas que foi cancelada devido à Covid-19.

Subirá agora ao palco, na mesma altura em que se assinalam os 99 anos da data de nascimento do escritor (19 de janeiro), que é natural da freguesia de Póvoa da Atalaia, concelho do Fundão, distrito de Castelo Branco.

Com a poesia de Eugénio de Andrade como mote, o espetáculo tem ainda a particularidade de envolver a comunidade local, nomeadamente alunos do primeiro ciclo da Póvoa da Atalaia, idosos do lar local e elementos do grupo de teatro escolar Teatro Histérico e da Câmara.

"Obviamente é um espetáculo com momentos de poesia. Temos uma mescla de imagens de arquivo da RTP feitas com o próprio Eugénio de Andrade e imagens gravadas das crianças a dizerem alguns dos seus poemas", detalhou.

"Frutos", "Havia uma Palavra" e "O Pastor" são os poemas que as crianças vão declamar.

A isto juntam-se, já em palco, os elementos do Grupo de Teatro Histérico (que faz parte do Agrupamento de Escola do Fundão) que vão contracenar com os atores profissionais Melânia Gomes, Alexandre Ferreira e Bruno Schiappa.

Quanto aos mais velhos, foram captadas memórias dos que ainda conviveram com Eugénio de Andrade quando ele era pequeno e com a mãe deste.

Será ainda distribuído e lido um manifesto à poesia escrito pelo jornalista Fernando Paulouro e o espetáculo também vai contar com momentos de música e fado: Arnandina Loureiro vai dizer poemas de Eugénio Andrade, acompanhada à viola beiroa por Miguel Carvalhinho, e o grupo Fado ao Centro vai interpretar duas obras.

Haverá ainda um momento de dança com Bruno Schiappa, com voz de Eugénio de Andrade, segundo explicou o diretor artístico.

A entrada é gratuita, mas sujeita a reserva, através do contacto telefónico 275 773 032.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+