Tempo
|
A+ / A-

“Oliveira do Mouchão” com 3.350 anos é candidata a “Árvore Europeia de 2022”

18 jan, 2022 - 10:46 • Olímpia Mairos

Até 19 de janeiro, os portugueses são convidados a escolher a árvore do ano que, depois, será candidata a árvore europeia.

A+ / A-

A mais velha árvore de Portugal, conhecida como a “Oliveira do Mouchão”, é uma das candidatas à eleição da “Árvore Europeia de 2022”.

Neste momento, está a decorrer o concurso que vai eleger a árvore do ano em Portugal e a vencedora competirá, depois, com outras, a nível europeu.

A árvore mais antiga de Portugal está ainda classificada como Arvoredo de Interesse Público e Árvore Monumental de Portugal pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) e está situada no concelho de Abrantes.

Tem 3.350 anos, um perímetro base de 11,2 metros, um perímetro à altura do peito de 6,5 metros e uma altura de tronco até às primeiras pernadas de 3,2 metros.

Segundo a UTAD, que a classificou em 2015, a árvore “mais velha do que a idade de Cristo, contemporânea de Fenícios, Celtiberos e Romanos, continua a produzir azeitona como na flor da juventude, apesar do tronco carcomido pelas inclemências do tempo”.

Sobreviveu aos povos invasores, bárbaros e povos refugiados que, ao longo dos séculos e milénios, pisaram este chão, a tudo resistindo, graças às raízes fundas que criou”, realça a academia.

A datação desta e de outras oliveiras de grande longevidade insere-se num método científico criado por um grupo de investigadores da UTAD, liderado por José Luís Louzada, em parceria com o grupo “Oliveiras Milenares”, o qual permitiu já datar dezenas de oliveiras em vários países.

Segundo o investigador, em teoria, “as oliveiras podem viver uma eternidade, ultrapassando a idade das inúmeras gerações que passem pelo mesmo território”.

“Não é em vão que, em muitos territórios nacionais, quem é dono das terras não é dono das oliveiras. Estas estão doadas, desde há séculos, a instituições que garantam a longevidade do seu uso, como sejam algumas irmandades religiosas ou as próprias Santas Casas da Misericórdia. E o azeite produzido é, muitas vezes, para sustento das igrejas e capelas ou para alumiar nas lamparinas”, assinala José Luís Louzada.

A eleição da árvore do ano, cuja votação decorre até 19 de janeiro, irá permitir escolher a árvore que representará Portugal no concurso europeu TREE OF THE YEAR 2022. Ao concurso português concorrem 10 árvores, a maioria localizadas no centro do país.

O concurso da Árvore Europeia do Ano surgiu no ano de 2011 e foi inspirado no popular concurso da República Checa, Árvore do Ano, organizado pela Czech Environmental Partnership Foundation. Desde então, o número de países envolvidos no concurso cresceu de 5 para 16. O concurso europeu é uma final constituída pelos vencedores dos diferentes concursos nacionais.

O objetivo do concurso é destacar a importância das árvores antigas na herança cultural e natural, que merece toda a nossa atenção e proteção. Ao contrário de outros concursos, a Árvore Europeia do Ano não se foca apenas na beleza, no tamanho ou na idade da árvore, mas, sim, na sua história e relações com as pessoas.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+