Tempo
|
A+ / A-

Marcelo enaltece "solidez e empenho" do ator Igor Sampaio

03 set, 2021 - 18:57 • Lusa

Ator com um vasto currículo na televisão e no teatro, morreu esta sexta-feira aos 76 anos.

A+ / A-

O Presidente da República apresentou condolências à família de Igor Sampaio, que morreu hoje, aos 76 anos, numa mensagem em que enaltece a "solidez e empenho" do ator, que foi também cenógrafo e figurinista.

Igor Sampaio, nome artístico de João Luís Duarte Ferreira, morreu hoje, em Lisboa, no Hospital de São José, onde estava hospitalizado desde 31 de agosto, devido a um acidente vascular cerebral (AVC).

O chefe de Estado, Marcelo Rebelo de Sousa, apresentou as suas condolências à família do ator numa mensagem publicada no sítio oficial da Presidência da República na Internet, em que recorda o seu percurso.

"A sua carreira como ator, cenógrafo e figurinista levou-o a diversos palcos e companhias, do Teatro Monumental à Casa da Comédia, do Teatro Nacional D. Maria II ao Teatro Aberto e ao Teatro da Comuna, tendo feito clássicos e contemporâneos, Molière e Tennessee Williams, e também teatro de revista, mantendo além disso uma constante presença televisiva em séries e novelas, sempre com a mesma solidez e empenho", lê-se na nota.

Nascido em Ponta Delgada em 29 de dezembro de 1944, Igor Sampaio estreou-se profissionalmente em 1967 e, nos últimos anos, trabalhava com A Comuna. Atualmente, integrava o elenco da telenovela "Mulheres" ainda em exibição na TVI.

"As artimanhas de Scapin" (2020), "Os apontamentos de Trigorin" (2018) e "Play Strindberg" contam-se entre as peças da companhia dirigida por João Mota em que Igor Sampaio subiu aos palcos nos últimos anos.


Antes de se tornar ator, foi assistente de cenografia no Teatro Monumental, sob a direção do figurinista e cenógrafo Pinto de Campos.

"A cabeça do Baptista", "Laço de sangue", "Sacrilégio", foram algumas das peças que representou na Casa da Comédia, entre 1970 e 1971, tendo, também assinado os figurinos e cenários.

"As cem moedas de oiro", para a qual executou os cenários, e interpretação em "O rapto das cebolinhas", são outras das peças em que entrou naquele teatro de Lisboa recentemente demolido.

Já depois do 25 de Abril de 1974 e até 1979, Igor Sampaio integrou elencos de teatro de revista em peças como "Até parece mentira", "O bombo da Festa", "E tudo S. Bento levou" e "Rei capitão soldado ladrão".

Entre 1979 e 2001 fez parte do elenco do Teatro Nacional D. Maria II, onde entrou em peças como "As Três Irmãs", "O Judeu", "As Fúrias", "Rei Lear", entre outras.

Do currículo do ator constam ainda trabalhos com o Novo Grupo/Teatro Aberto, nos anos 1980, e, no Teatro da Trindade, já depois de 2000, em espetáculos como "A desobediência", "O dia das mentiras" ou "Os Maias no Trindade".

Igor Sampaio fez também parte do grupo de bailados "Verde Gaio" e era também pintor.

Igor Sampaio conta ainda com uma longa carreira em telenovelas e séries televisivas, como "Mau tempo no canal", "A banqueira do povo", "A mulher do sr. Ministro", "Vidas de Sal", "Ballet Rose", "O processo dos Távoras" e "Lusitana Paixão", "Velhos amigos", "A ferreirinha" e "Pai à força", para a RTP, entre as décadas de 1970 e 2010.

"Equador", "Morangos com açúcar", "Super pai", "Bons vizinhos", "Tudo por amor" e "Mulheres" são alguns dos trabalhos em que participou, para a TVI, enquanto para a SIC integrou elencos de séries como "Laços de sangue", "Perfeito coração" ou "A Família Mata".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+