Tempo
|
A+ / A-

​Festival Jardins do Marquês com Maria João Pires e Rufus Wainwright em cartaz

08 jun, 2021 - 13:11 • Maria João Costa

De 2 a 11 de julho, o Festival Jardins do Marquês regressa a Oeiras, depois de ter adiado a primeira edição. São sete noites com concertos que vão levar ao palco pianistas como Maria João Pires e Júlio Resende, Rufus Wainwright e Vicente Palma, Bonga e Mayra Andrade.

A+ / A-

À segunda é de vez. Depois do cancelamento da primeira edição em 2020, devido à pandemia de Covid-19, o Festival Jardins do Marquês regressa ao concelho de Oeiras.

De 2 a 11 de julho, o festival vai juntar nomes da música nacional e internacional nos Jardins do Marquês de Pombal. A marcar o cartaz estão concertos que podem despertar diálogos musicais improváveis.

A organização explica, em comunicado, que avançou com a edição deste ano, “cumprindo com rigor todas as regras de saúde pública determinadas pela Direção-Geral da Saúde”. O Festival explica que “as restrições à circulação internacional - que obrigam muitos artistas a adiar as suas digressões - fazem com que a realização de um evento desta magnitude continue a ser um desafio exigente”.

Ainda assim, o cartaz é ambicioso e “privilegia a música nacional, mas também tem espaço para artistas internacionais que incorporam o espírito do evento”, diz a organização. Assim, a marcar a abertura no dia 2 de julho está um concerto que vai levar ao mesmo palco os brasileiros Seu Jorge e Daniel Jobim, que cantarão temas de Tom Jobim, e o projeto musical de Pierre Aderne, Rua das Pretas.

O segundo concerto, marcado para 4 de julho, vai juntar dois pianistas portugueses de linguagens musicais bem distintas. De um lado Maria João Pires e o seu reportório clássico, do outro Júlio Resende, pianista mais do universo do jazz.

A 6 de julho sobem ao palco Rufus Wainwright, um dos músicos mais versáteis que tanto toca ao piano, como já compôs uma ópera. O cantor irá atuar no mesmo dia que Vicente Palma, o músico, filho de Jorge Palma, que tem vindo a trilhar um percurso individual. Palma que soma já 20 anos de palco como músico da banda de seu pai, integra o grupo Tais Quais onde, além de interpretar também compõe.

No dia 8 será a vez de António Zambujo e Tainá se cruzarem no Festival Jardins do Marquês. O músico alentejano que tem este ano novo trabalho discográfico, vai pisar o mesmo palco que a brasileira, nascida no Pará, Tainá.

Logo no dia seguinte, o cartaz do festival vai juntar dois grandes nomes da música africana. Bonga e a cabo-verdiana Mayra Andrade vão atuar no festival.

Nos dois últimos dias, o cartaz terá um sabor mais lusitano. Dia 10, o fadista Camané atuará com o pianista Mário Laginha, no mesmo dia em que também Jorge Palma subirá ao palco.

A fechar o evento, a 11 de julho, um concerto de Rui Veloso, no mesmo dia em que o cabo-verdiano Tito Paris será também um dos nomes anunciados.

Toda a programação está disponível em www.jardinsdomarques.pt. A organização informa que quem comprou bilhetes para a primeira edição, poderá agora usá-los. “Os bilhetes adquiridos para as datas de 2020 são válidos para 2021 sem necessidade de troca ou da emissão de novo bilhete.

Os bilhetes adquiridos para as datas de 2020 que não se confirmam em 2021 podem ser trocados por qualquer das noites de 2021, devendo para tal contactar o local onde foram adquiridos”. Com preços entre os 20 e os 45 euros, os bilhetes são todos com lugares sentados e marcados.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+