Siga-nos no Whatsapp
A+ / A-

Há sete novas crias de suricata no Jardim Zoológico de Lisboa

21 ago, 2019 - 15:04

Cerca de um mês depois do lançamento do novo filme "O Rei Leão", o Jardim Zoológico de Lisboa anuncia o nascimento de sete pequenos "Timons" e desafia os visitantes a pequenas mudanças de comportamento pela proteção da savana africana.

A+ / A-

O jardim zoológico de Lisboa deu, esta quarta-feira, as boas-vindas a sete novas crias de suricata. O nascimento dos pequenos "timons" ocorre um mês depois da estreia do novo filme "Rei Leão", acompanhada pelo lançamento da campanha para o Fundo de Recuperação de Leões da Wildlife Conservation Network.

"As pequenas crias nasceram no interior dos túneis, construídos pelo grupo na instalação, onde permaneceram nas primeiras semanas de vida. Atualmente, já é possível observá-las a explorar a instalação, sempre junto da progenitora e atentas aos alertas da “sentinela”", pode ler-se no comunicado do Zoológico de Lisboa.

Programas de conservação de animais como leões, elefantes e rinocerontes, contribuem para a conservação das Suricatas, ao promover a criação de áreas protegidas que acabam por coincidir com o habitat natural desta espécie.

No entanto, estudos realizados a grupos de Suricatas na natureza revelam uma estreita relação entre a diminuição da precipitação nas savanas africanas e a redução do número de indivíduos. Até agora, têm-se apenas registado oscilações pontuais da precipitação ao longo dos anos porém, devido às alterações climáticas, o cenário é diferente.

Este é um fenómeno que se faz sentir de forma mais intensa nos habitats mais inóspitos, como os desertos e as savanas.

O Jardim Zoológico de Lisboa deixa por isso um desafio a todos visitantes: "Travar as alterações climáticas e garantir a biodiversidade das savanas e estepes tal como as conhecemos, está nas mãos de cada um de nós!".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+