Tempo
|
A+ / A-

"O Renascido" é o grande vencedor dos Globos de Ouro

11 jan, 2016 - 11:12

"O Renascido" e "Perdido em Marte" venceram no cinema, "Mr. Robot" e "Mozart in the Jungle" levaram prémios da televisão. Denzel Washington recebeu o Prémio Vida.

A+ / A-
"O Renascido" é o grande vencedor dos Globos de Ouro
"O Renascido" é o grande vencedor dos Globos de Ouro

“O Renascido” é o grande vencedor dos Globos de Ouro. Na cerimónia, que decorreu no domingo, na Califórnia (EUA), o actor norte-americano Denzel Washington juntou-se a Steven Spielberg, Martin Scorsese e Robert De Niro nos distinguidos com o Prémio Vida dos Globos de Ouro.

"O Renascido" foi o grande vencedor da noite, com três dos principais troféus: Melhor Filme (Drama), Melhor Realizador (para Alejandro González Iñarritu, que o perdeu o ano passado por "Birdman" mas acabaria depois por ganhar o Óscar) e Leonardo DiCaprio, a vencer pela terceira vez, após "O Aviador" e "O Lobo de Wall Street", mas ainda à espera de conquistar a mais cobiçada estatueta dourada. “O Renascido” estreia-se em Portugal a 21 de Janeiro.

Os até agora favoritos e muito premiados "O Caso Spotlight", "Carol" e "A Queda de Wall Street" saíram da cerimónia de mãos a abanar e títulos até agora menos distinguidos como "The Revenant" ou mesmo "Steve Jobs" acabaram por ser os favoritos para os jornalistas da Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood, que vota nos troféus.

Iñárritu fez história ao conquistar o seu primeiro Globo de Ouro na categoria de melhor realizador, um prémio que disputava com Todd Haynes (“Carol”), Tom McCarthy (“Spotlight”), George Miller (“Mad Max: Estrada da fúria”) e Ridley Scott (“Perdido em Marte”).

O “amigo” Denzel

Aos 61 anos, Denzel Washington recebeu o prémio Cecil B. DeMille (nome dado ao galardão que distingue a carreira de um actor ou realizador) pelo seu trabalho à frente e atrás das câmaras. É o terceiro artista negro a receber o galardão em mais de 60 anos de Globos de Ouro.

Washington recebeu o prémio da sua mulher, Pauletta, e três dos seus filhos e disse que não conseguia ler o discurso que tinha preparado por se ter esquecido dos óculos.

Em poucas palavras, agradeceu à Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood, que organiza os Globos de Ouro, por o “aturar há tantos anos”. “Sempre me fizeram sentir como um amigo ou parte da festa”, acrescentou.

A noite de Damon, Larson, Stallone...

Na televisão, os vencedores foram "Mr. Robot" e "Mozart in the Jungle".

Na categoria de Comédia ou Musical, o grande vencedor foi "Perdido em Marte", a conquistar os troféus de Melhor Filme e Melhor Actor, para Matt Damon. O próprio realizador, Ridley Scott, não escondeu a sua surpresa ao receber o Globo pelo facto do seu thriller de ficção científica concorrer (e vencer) na área que não a do drama.

Na categoria de Drama, Brie Larson, de 26 anos, estreou-se na cerimónia e confirmou o favoritismo ao ganhar o Globo de Melhor Actriz por "Quarto", passando assim à frente da favorita Cate Blanchett, enquanto na área de Comédia ou Musical, Jennifer Lawrence arrebatou o terceiro Globo por "Joy", após triunfar com "Guia para um Final Feliz" e "Golpada Americana", todos os três do realizador David O. Russell.

Sylvester Stallone recebeu uma ovação de pé ao ganhar o troféu de Melhor Actor Secundário por "Creed", quatro décadas depois de ter sido nomeado por "Rocky", e não se esqueceu de agradecer ao seu "amigo imaginário" Rocky Balboa, a personagem que lhe valeu a distinção pelas duas vezes, por ser "o melhor amigo que alguma vez" teve.

"Steve Jobs" foi um dos vencedores mais inesperados da noite, com Kate Winslet a conquistar o seu quarto Globo de Ouro, agora de Melhor Actriz Secundária, e Aaron Sorkin a arrebatar o de Melhor Argumento.

Sem surpresa foi a vitória de "Divertida-mente" na categoria de Melhor Longa-Metragem de Animação e de "Filho de Saul" como Melhor Filme de Língua Estrangeira (pela Hungria).

Nas restantes categorias, os troféus foram completamente divididos: Jon Hamm ganhou o seu segundo Globo de Ouro de Melhor Actor (Drama) pela última temporada de "Mad Men"; Taraji P. Henson estreou-se na cerimónia ao vencer como Melhor Actriz (Drama) com "Empire"; Rachel Bloom arrebatou o troféu de Melhor Actriz (Comédia ou Musical) por "Crazy Ex-Girlfriend"; "Wolf Hall" venceu o Globo para Melhor Mini-série ou Telefilme; Oscar Isaac arrecadou o Globo de Melhor Actor pela mini-série "Show Me a Hero".

Uma das grandes surpresas da noite foi a vitória de Lady Gaga como Melhor Actriz pela Mini-série "American Horror Story: Hotel", no seu primeiro trabalho de fundo fora da área da música, o que a levou a dizer que se sentia como Cher quando ganhou o Óscar de Melhor Actriz por "O Feitiço da Lua".

Ricky Gervais apresentou a cerimónia dos Globos de Ouro pela quarta vez e quem estava à espera que o seu humor ácido e certeiro voltasse a ser violento para com Hollywood e as estrelas presentes, não saiu desapontado. Mais uma vez disparou em todas as direcções e não deixou a Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood de fora.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+