Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

China tem um novo bispo e uma nova diocese, com o apoio do Papa

29 jan, 2024 - 15:47 • Aura Miguel

A história da Diocese de Weifang, antiga Prefeitura Apostólica de Yiduxian, está ligada à missão evangelizadora realizada naquela terra pelos franciscanos franceses.

A+ / A-

O Vaticano anunciou esta segunda-feira a criação, na China, da nova diocese de Weifang e a sagração do seu novo bispo. Num comunicado, a Santa Sé informa que ambas as decisões remontam a abril de 2023, mas foram divulgadas só agora, após a consagração do bispo. A nomeação ocorreu no âmbito do Acordo Provisório entre a Santa Sé e a República Popular da China.

O novo bispo, Anthony Sun Wenjun, nasceu em novembro de 1970, estudou no Seminário de Sheshan, em Xangai, de 1989 a 1994 e foi ordenado sacerdote em 1995, na Paróquia de Xishiku, em Pequim. Posteriormente, prestou serviço pastoral em Shandong de 2005 a 2007. Entre 2007 e 2008 estudou na Irlanda, regressando depois a Weifang, onde continuou a exercer seu ministério.

Segundo a agência vaticana Fides, a história da Diocese de Weifang, antiga Prefeitura Apostólica de Yiduxian (desde 1931), está ligada à missão evangelizadora realizada naquela terra pelos franciscanos franceses. A referida diocese estava sem bispo desde 2008, mas, “durante os anos de vacância da sede episcopal, a comunidade eclesial continuou a caminhar na unidade e a manifestar vivamente o seguimento de Cristo e a paixão de anunciar o Evangelho, em comunhão com o Papa e com a Igreja de Roma”.

O território da nova Diocese de Weifang abrange toda a zona da capital Weifang, com uma área total de 16.167,23 km2 e uma população de 9.386.705 habitantes, dos quais cerca de 6 mil são católicos, assistidos por 10 sacerdotes e 6 religiosas.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+